Home / Barueri / Atleta de Barueri de apenas 13 anos é convocada para mundial no Rio de Janeiro

Atleta de Barueri de apenas 13 anos é convocada para mundial no Rio de Janeiro

Chaya Gabor, de apenas 13 anos, no Breaking conhecida como B-Girl Angel do Brasil, foi indicada pelo Conselho Nacional de Dança Desportiva (CNDD) e convocada pela Confederação Brasileira de Desporto Escolar (CBDE) para compor, junto com B-Boy Samukinha (GO), B-Boy Pablo (MA), B-Girl Mary D (SP) e os técnicos B-Girl Lu e B-Boy Rato, a delegação brasileira para a segunda edição do ISF Gymnasiade U15 entre os dias 18 a 27 de agosto de 2023, na cidade de Rio de Janeiro. Este é o primeiro mundial de Angel, que dança desde os 3 anos de idade. A menina treina na cidade de Barueri e faz parte do grupo Dream Kids Brazil. De poucas palavras, discreta na forma de chegar nos eventos, mas com muita atitude nas competições, ela é dona de uma personalidade forte, na cena tem fama de “Braba”, o Breaking para ela não é um hobby, um passatempo, mas sim a sua vida!

Guerreira desde que nasceu, pois foi uma prematura extrema de 850 gramas, a atleta, que é carinhosamente chamada por seu treinador de “Senhorita Power Move”, pelo talento em assimilar os movimentos acrobáticos, foi a primeira criança na história a ser finalista do Prêmio Sabotage, no evento feito pela Câmara Municipal de São Paulo, participou de eventos como: Rival Vs Rival (SP), Master Crews (SP), Quando as Ruas Chamam (DF), Tattoo Experience (SP), 1° lugar na Batalha Final, sendo também a primeira criança a chegar e ganhar o 1º lugar na final do evento na categoria Kids, que foi no Shopping Tatuapé, onde também ficou em terceiro entre as B-Girls adultas. Angel também foi 1° lugar na Quebrada Viva Battle, em dupla, 1º lugar no All Dance Brasil. Em 2020, mesmo durante a pandemia, participou do evento internacional E-FISE Montpellier, na França, se destacando no cenário mundial, colocando o Brasil em 2º lugar. Sendo ranqueada pelo evento entre as 6 melhores B-Girls Kids. Em 2021, recebeu a indicação e premiação do Troféu Arte em Movimento e, em 2022, ganhou o Breaking Combate, o Breaking Ibira e no Campeonato Brasileiro de Breaking Sport subiu no pódio estando entre as 3 melhores crianças do Brasil que dançam Breaking. Treinada pelo coach Eder Devesa, desde pequena Angel vem se destacando e se preparando para os eventos nacionais, mas principalmente para os internacionais e leva a sério suas horas de treinos, sua dança, seu sono e alimentação.

O Breaking, que atualmente está nos holofotes por ser a nova modalidade olímpica, se torna a bola da vez! E o diálogo com a juventude deve aumentar ainda mais nos próximos anos, culminando com pódios cada vez mais dominados pelos mais novos. Angel, sem dúvida, é uma das grandes promessas do Brasil, ela acha incrível e grandioso as Olimpíadas e se prepara com total dedicação para quando sua hora chegar, mas foca também nas competições de ranqueamento, competições mundias como o Gymnasiade e se prepara para os Jogos da Juventude de 2026. Ser uma atleta de 13 anos, do sexo feminino, convocada para defender a própria dança, o Estado de São Paulo e o Brasil no ISF Gymnasiade U15, maior campeonato estudantil do mundo, é um reconhecimento a dança e a dedicação dessa menina que, como se fala na Cultura Hip-Hop, tem sangue nos olhos. De pouca idade, mas de muito talento, que ama o Breaking como cultura e esporte!

São dela as palavras: “Eu praticamente já nasci tendo contato com a Cultura Hip-Hop, meus pais nunca dançaram, mas sempre fizeram parte da cena e me incentivaram, meu irmão é dançarino e eu sempre estive junto com ele, o que me fez conhecer e amar o Breaking. Sempre estive presente nas rodas, nas ruas, nos campeonatos junto com as pessoas, na maioria pessoas adultas, sempre frequentado por muito mais homens do que mulheres. Sempre gostei de ser diferente, de dançar e praticar o b-girling nesses lugares. Sou B-Girl com muito orgulho!  Quando estou dançando, seja em campeonatos ou em battles, é o momento que mais me sinto feliz! Estou subindo a montanha, me preparando para cada vez voar mais alto, tocando as pessoas com a minha dança! E estimulando outras crianças a se dedicarem ao Breaking, que agora é um esporte olímpico!”.

Além do Brasil, na modalidade Breaking participam também países como Peru, Ucrânia, Croácia e China. Serão competições de B-Girls e B-Boys 1vs1 e competição de Dupla Mista. A expectativa é que o Rio receba 4 mil participantes, sendo 2.100 estudantes-atletas, com idade entre 13 e 15 anos de escolas públicas ou particulares. Ao todo, serão 22 modalidades disputadas, sendo três do paradesporto. Entre elas estão o Atletismo, Atletismo Adaptado, Badminton, Basquete 3×3, Boxe, Dança, Ginástica Artística, Ginástica Rítmica, Judô, Judô Paralímpico, Esgrima, Karatê, Natação, ParaNatação, Taekwondo, Wrestling, Skate, Xadrez, Tiro com Arco e Orientação. A Gymnasiade é uma realização da ISF (International School Sport Federation), junto com a CBDE, com apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer; do Sesc Rio; da Federação de Esportes Estudantis do Rio de Janeiro (FEERJ); da Prefeitura do Rio; e do Governo Federal, por meio do Ministério do Esporte. O evento terá entrada gratuita.

Sobre Redação

Leia também

Já atualizou a vacina do seu pet?

A Prefeitura de Barueri mantém um posto fixo de vacinação contra a raiva em cães …