Home / Barueri / DEFENDA PM repudia agressões cometidas por empresário contra PMs, em Alphaville

DEFENDA PM repudia agressões cometidas por empresário contra PMs, em Alphaville

Dois policiais militares foram atacados com diversos insultos e xingamentos pelo empresário Ivan Storel, na última sexta-feira (29/05). A agressão foi gravada e o vídeo repercutiu pelas redes sociais durante o fim de semana, gerando revolta pela forma com que o homem, que havia sido acusado de violência doméstica, se comportou.
No domingo (31/05), a DEFENDA PM (Associação de Oficiais Militares do Estado de São Paulo em Defesa da Polícia Militar) publicou nota repudiando a atitude do empresário perante os militares, que estavam trabalhando no atendimento uma denúncia de agressão feita pela esposa de Ivan, que estava visivelmente embriagado.
A entidade pontua que o vídeo contém palavras “impublicáveis” e mostra “o mundo dos que pensam estar acima da Lei e da Ordem”. A nota afirma que a atitude do homem “revela aquilo que muitos pseudo-poderosos pensam a respeito das leis, de direitos e deveres, de comportamento social básico e, por fim, de educação e até mesmo de humanidade”.
A DEFENDA PM diz que “as ofensas dirigidas pelo empresário aos policiais militares devem ser repudiadas por todos os cidadãos de bem do país. Crueldade, ódio, desprezo, humilhação e a mera falta de educação revelam daquele empresário a face que os pseudo-poderosos sempre querem ocultar: a de bandidos comuns, ladrões de galinha. Pilhados em flagrante, apelam para um poder que não têm e para um discurso rasteiro recheado de palavrões”, diz o texto.
A entidade que trabalha em defesa da Polícia Militar e seus oficiais revela que a disparidade de salários, embora tenha sido utilizada em meio a diversos palavrões pelo empresário, é real. “O policial militar não tem um salário digno, condizente com a realidade de São Paulo. No Estado mais rico da federação, responsável por quase 40% do PIB brasileiro, soldados da Polícia Militar arriscam a vida todos os dias, em defesa da população (e ontem estavam agindo em defesa da mulher do empresário) por um salário lamentável que deveria ser motivo de vergonha ao governador do Estado (do atual e de todos os que o antecederam). Das 27 unidades da Federação, a PM de São Paulo é a penúltima no ranking salarial”, pontua a nota.
A DEFENDA PM encerra o texto respondendo ao questionamento do empresário ao militar, quando pergunta: “quem você pensa que é?”. “Ele é uma autoridade à qual até mesmo um empresário de R$ 300.000,00 mensais é obrigado a se curvar, quando receber ordem de o fazer”, afirma a entidade, que termina dizendo que “todas estas verdades estão relatadas no Boletim de Ocorrência do qual, agora, a Lei deve tomar conta”.

Leia a Nota completa:
Sobre o ataque de um empresário a dois policiais militares
O que passa pela cabeça de um empresário que o autoriza a dirigir-se a uma autoridade policial com termos aqui impublicáveis pelo simples fato de a autoridade estar fazendo o que dela se espera? Não serve a desculpa da bebedeira visível. Antes, revela aquilo que muitos pseudo-poderosos pensam a respeito das leis, de direitos e deveres, de comportamento social básico e, por fim, de educação e até mesmo de humanidade.
A frase “aqui é Alphaville, aqui é o f…-se”, pronunciada em alto e bom som pelo empresário Ivan Storel (rendimento declarado de R$ 300.000,00 mensais), ao ser abordado por dois policiais militares em sua residência, resume o comportamento de um mundo à parte. O mundo dos que pensam estar acima da Lei e da Ordem. A autoridade policial ali estava atendendo a um chamado (pelo 190) feito pela própria esposa do empresário, que segundo ela estava embriagado e agressivo. “Desinteligência”, na linguagem policial.
As cenas lamentáveis foram registradas em vídeo que agora corre o mundo nos grupos de WhatsApp. As ofensas dirigidas pelo empresário aos policiais militares devem ser repudiadas por todos os cidadãos de bem do país. Crueldade, ódio, desprezo, humilhação e a mera falta de educação revelam daquele empresário a face que os pseudo-poderosos sempre querem ocultar: a de bandidos comuns, ladrões de galinha. Pilhados em flagrante, apelam para um poder que não têm e para um discurso rasteiro recheado de palavrões.
A DEFENDA PM – Associação dos Oficiais Militares do Estado de São Paulo em Defesa da Polícia Militar repudia veementemente e condena a reação e as palavras do empresário Ivan Storel, proferidas na frente da filha, no colo da mãe. Mas destaca uma verdade e responde a uma pergunta, ambas feitas por ele naquela enxurrada de palavrões.
A verdade é que o policial militar não tem um salário digno, condizente com a realidade de São Paulo. No Estado mais rico da federação, responsável por quase 40% do PIB brasileiro, soldados da Polícia Militar arriscam a vida todos os dias, em defesa da população (e ontem estavam agindo em defesa da mulher do empresário) por um salário lamentável que deveria ser motivo de vergonha ao governador do Estado (do atual e de todos os que o antecederam). Das 27 unidades da Federação, a PM de São Paulo é a penúltima no ranking salarial!
O outro destaque fica por conta da pergunta do empresário. “Quem você pensa que é?”. O soldado da Polícia Militar nem precisa pensar para responder: ele é uma Autoridade à qual até mesmo um empresário de R$ 300.000,00 mensais é obrigado a se curvar, quando receber ordem de o fazer. Todas estas verdades estão relatadas no Boletim de Ocorrência do qual, agora, a Lei deve tomar conta.

Vídeo: Repórter leitor

Sobre Hostmarx - Hospedagem e Desenvolvimento de Sites

Leia também

Zona Azul Digital começa a funcionar em caráter piloto em Barueri

Na quinta-feira (dia 25) entrou em operação a Zona Azul Digital em Barueri, tecnologia desenvolvida …