Home / Barueri / Pneumologista fala a equipes de maternais de Barueri sobre doenças respiratórias infantis
funcionárias dos maternais de Barueri acompanhando palestra de pneumologista
Foto: Aliz Lambiazzi / Secom

Pneumologista fala a equipes de maternais de Barueri sobre doenças respiratórias infantis

funcionárias dos maternais de Barueri acompanhando palestra de pneumologista
Foto: Aliz Lambiazzi / Secom
Com a chegada do inverno, agravam-se as doenças respiratórias, especialmente em crianças. Para ajudar aqueles que mais lidam com os pequeninos diariamente, a Secretaria de Saúde de Barueri, por meio do Ambulatório de Especialidades, ofereceu a palestra “O inverno e as doenças respiratórias na infância” a funcionários das maternais, ligados à Secretaria de Educação.

O encontro aconteceu na tarde de sexta-feira (dia 18). O pneumologista pediátrico Eduardo de Aguiar Ferone, que atende na rede de saúde de Barueri há 10 anos, conduziu a palestra dando um panorama completo das enfermidades mais comuns entre o outono e o inverno, os principais cuidados a serem tomados e o uso correto de remédios, dentre outras informações.

Diferenças entre gripe e resfriado, os tipos de gripe influenza, períodos de maior contágio, o perigo do uso indiscriminado de antibióticos, medidas preventivas específicas para alérgicos e a importância da vacina da gripe, especialmente para o público-alvo, foram alguns dos pontos explorados pelo especialista. Sinusite, laringite, bronquite, pneumonia, bronquiolite, rinite alérgica, asma e outras infecções foram tratadas com riqueza de detalhes.

“A intenção foi reforçar algumas medidas de prevenção de infecções respiratórias agora no período de outono/inverno, especialmente entre as crianças até 5 anos de idade, que foi o público-foco das educadoras das maternais”, esclarece o médico. Muito foi falado, mas se tivesse que escolher uma das medidas para dar ênfase, Eduardo escolheria a prevenção de contaminação das vias aéreas com vírus e bactérias, atentando-se à higienização das mãos, um dos principais focos de proliferação dessas infecções.

“Foquei bastante também em algumas medidas, como evitar aglomerações, o contato com poluentes e com fumaça de cigarro, que são coisas que diminuem os mecanismos de defesa das vias respiratórias, além de medidas gerais, como hidratação, alimentação adequada e repouso para os doentes”, detalha o especialista.

De olho na criançada

Para a diretora da Maternal Eliane Castanon Pereira, do Chácaras Marco, Walkiria da Silva Salles, o conteúdo apresentado é de extrema importância para elas que passam tanto tempo com as crianças dessa faixa etária. Segundo conta, são 12 horas cuidando de meninos e meninas e passando a reconhecê-los com bastante aprofundamento.

“O que foi mostrado aqui ajuda muito no dia a dia da maternal, porque quando a gente fala para a mãe alguns problemas que identificamos na criança com base nas palavras do médico, a gente passa a ter mais credibilidade”, declara Walkiria, que garante: “o que a gente ouve nessas palestras, multiplicamos na escola e no dia da reunião de pais com a ajuda dos professores”.

Motivo de alerta

Conforme apresentado na ocasião, a prevalência de doenças alérgicas na infância vem aumentando. No caso da asma, por exemplo, há um crescimento de 20%, enquanto da rinite, chega a 30%. No Brasil, as doenças respiratórias são as principais causas gerais de internação depois das relacionadas à gestação. Elas são também as principais causas de óbito durante as internações gerais e as que mais levam à morte crianças entre um e quatro anos de idade.

Aliz Lambiazzi

Sobre rodrigo

Leia também

Barueri/SP – Febre maculosa é nociva para animais domésticos e seres humanos

  A febre maculosa é também conhecida no Brasil por febre do carrapato em razão …